Como Liderar Pessoas Difíceis? O Guia Passo a Passo

/, Liderança/Como Liderar Pessoas Difíceis? O Guia Passo a Passo

Como Liderar Pessoas Difíceis? O Guia Passo a Passo

Se você é gestor, sabe bem que liderar pessoas difíceis no trabalho é um dos principais desafios para manter o equilíbrio entre clima organizacional e o alcance de metas e resultados.

Este artigo lhe trará dicas para você atuar em situações desafiadoras na gestão de pessoas, em especial, colaboradores que desafiam a manutenção da cultura e princípios da sua empresa.

Continue lendo para saber mais sobre:

1. Panorama das relações nas empresas
2. O que faz de alguém uma pessoa difícil
3. A Importância de um bom Clima Organizacional
4. Como liderar e lidar com pessoas difíceis
5. Passo a Passo de como Liderar Pessoas Difíceis
6. Liderar é uma arte. Se relacionar também

Panorama das relações nas empresas

É muito difícil chegar a alguma empresa e não saber de situações que desafiam a liderança de seu gestor (claro, quando você tem a oportunidade de enxergá-la por dentro).

Inclusive para quem não possui equipes sob sua liderança, interagir com outras pessoas é uma tarefa rica, que pode trazer boas e não tão boas emoções assim.

A grande questão aqui é o quanto você tem a habilidade de contornar situações difíceis e extrair o melhor de talento.

É até interessante quando alguém diz que irá sair de uma empresa por não gostar dos desafios, problemas ou pessoas que estão lá.

Na verdade, por onde quer que se vá, também haverá situações desafiadoras e conflitos a serem resolvidos.

Por onde passo, dos maiores aos menores centros, já conheci empresas maravilhosas para se trabalhar, mas conversando com os líderes que estão lá, vejo seus dilemas de lidar com situações um tanto “espinhosas”.

No mercado de recrutamento e seleção, a frase “o currículo contrata e o comportamento demite” ilustra bem com comportamentos difíceis podem culminar no encerramento de uma carreira.

O que faz de alguém uma pessoa difícil

Primeiro precisamos entender que uma variável interessante é a responsável por encontrarmos pessoas “difíceis” na maioria dos lugares: todos nós somos diferentes!

Todos nós somos difíceis, justamente por não sermos iguais uns aos outros.

É dessa diferença de opiniões, culturas, ideias e crenças que sai todo o poder criativo da humanidade.

E por cada indivíduo ter recebido um tipo de educação e costumes, é certo que irá encontrar alguém que será mais difícil para se relacionar.

Mas o estilo de “pessoa difícil” que trato aqui, representa alguns comportamentos nada interessantes, como pessoas que:

  • São inflexíveis em suas opiniões;
  • Não respeitam as opiniões dos colegas;
  • Não reconhecerem os direitos das outras pessoas;
  • Fazem críticas destrutivas (ao invés de construtivas);
  • Não são solíticos;
  • Não respeitam colegas e clientes;
  • Resistem em seguir as orientações de seu líder;
  • Não gostam de contribuir com ideias para a empresa.

Lembra que acima eu falei que “o currículo contrata e o comportamento demite”? Isto mostra que apesar de alguém ter um bom currículo, situações como as que listo acima, apagam todo este brilho.

Contudo, por mais que muitos líderes queiram seguir este caminho, demitir um colaborador deve ser a última das opções a se seguir (falo mais abaixo).

A Importância de um bom Clima Organizacional

Aqui começamos a mergulhar na solução para essa equação (pessoas difíceis x bom clima organizacional).

Antes de tratar estes dois pontos, é preciso cuidar e garantir que o clima organizacional esteja puro e refrescante.

E você, líder, é diretamente responsável para o alcance desse resultado.

A começar pelo exemplo. Busque sempre manter a congruência entre o que você diz e o que você faz.

Perdi a conta das vezes em que ouvi colaboradores dizendo que seus gestores não fazem o que dizem e que, por conseguinte, não possuem autoridade para pedir o que pedem.

E mantendo esta congruência, assegure para que haja sempre transparência.

Se quer um clima organizacional de qualidade, seja transparente em expor o que pensa, ao passo em que estimula as pessoas a também serem.

Além disso, alguns passos podem turbinar a busca por este clima organizacional ideal:

  • Confie em seus colaboradores. Isso aumenta o engajamento da equipe;
  • Desafie o seu time a crescer sempre mais;
  • Dê feedbacks construtivos, sempre individualmente;
  • Quebre o gelo e o ambiente sisudo do escritório;
  • Estimule a liberdade e responsabilidade, ao invés de regras rígidas e inflexíveis.

Como liderar e lidar com pessoas difíceis

Tenha certeza de uma coisa: não há como lidar com pessoas difíceis se você também não mudar a sua forma de agir.

E digo isso porque mais do que lidar com este estilo de profissional, você precisa saber se relacionar com todos os tipos de pessoas. Afinal, você é um líder, certo?

Mesmo que ainda não seja, saber e desenvolver a competência de lidar com pessoas é um grande passo para seu crescimento pessoal e profissional.

Precisamos compreender o que todas as pessoas, incluindo as difíceis, possuem traços em comum:

Elas querem ser ouvidas: O seu humano possui um desejo imenso de ter atenção. Isto o faz se sentir importante e uma oportunidade em que alguém escute suas questões é um grande apoio;

Elas querem ser compreendidas: Muito mais que ouvidas, as pessoas anseiam por compreensão. A sensação de alguém dizer algo e seu interlocutor não prestar atenção não é das melhores;

A fala firme (jeito grosso) pode ser uma proteção: Certamente você conhece alguém que, apesar de aparentar ser uma pessoa difícil, na verdade é alguém sensível e carente de relações;

Desejam ser respeitadas: Inclusive quem age de maneira rude com as outras pessoas, tem em si o desejo de respeito e consideração.

Livro Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas para Liderar Pessoas Difíceis e Administrar Conflitos no TrabalhoUm livro muito bom, que é considerado leitura de cabeceira por muitos líderes mundo afora e que não sai das listas de best-sellers é o “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, do Dale Carnegie.

Ele possui um conteúdo vasto, repleto de exemplos e histórias de como o fato de conhecer as pessoas e o que elas apreciam pode apoiar a sua gestão e crescimento pessoal e profissional.

Uma frase muito bacana do Dale, que tem total alinhamento com o que tratamos aqui, é:

“Você pode fazer mais amigos em 2 meses se interessando pelos outros do que em 2 anos tentando fazer com que eles se interessem por você”.

Recomendo a leitura.

Você também pode conferir este vídeo do Seiti Arata, com informações sobre como lidar com pessoas difíceis.

Passo a Passo de Como Liderar Pessoas Difíceis

E especificamente no ambiente empresarial, reservei algumas dicas práticas para te apoiar neste desafio de liderança:

1. Conheça a si próprio e ao seu time

Se você apenas se conhece e não conhece o seu time… sinal de alerta aqui. Do mesmo modo, se você conhece o seu time e não conhece a si próprio, também temos um sinal amarelo.

Livro A Arte da Guerra para Liderar Pessoas Difíceis e Administrar Conflitos no TrabalhoSun Tzu, em seu livro “A Arte da Guerra” traz um importante princípio para a liderança:

“Aquele que conhece o inimigo e a si mesmo lutará cem batalhas sem perder; para aquele que não conhece o inimigo, mas conhece a si mesmo, as chances para a vitória ou derrota serão iguais; aquele que não conhece nem o inimigo e nem a si próprio será derrotado em todas as batalhas”.

Se você tem todo um desafio de mercado para enfrentar, com concorrentes, clientes cada vez mais exigentes e leis a serem cumpridas (o que é uma verdadeira batalha), precisa conhecer o que está no seu lado da força.

E acredite, é sempre mais fácil ver pessoas que conhecem o seu time mas sabem pouco de si mesmas.

Se você não se conhece, não saberá como poderá agir em uma situação de tensão, conflito ou insegurança, por exemplo.

Escrevi um artigo sobre como aumentar a Inteligência emocional que fala mais sobre isso. E para a equipe, invista em mais momentos juntos, de conversas e entendimento para saber quem está com você.

2. Defina o propósito de sua empresa

Permita que mais do que obter lucros em seu mercado, a sua empresa tenha uma missão, um propósito de ser e existir.

Isso, inclusive, é proposto quando você realiza o planejamento estratégico. É nele, por exemplo, que você pode pensar na missão, visão e valores que norteiam o seu negócio.

Quando se tem um propósito claro, fica mais fácil definir o padrão de cultura da empresa, estimulando e motivando a equipe de forma natural.

3. Invista em capacitação

Por favor, não faça como alguns líderes que já ouvi falar que não precisam mais se capacitar ou aprender, por já terem estudado tudo que podiam na vida.

Não basta apenas saber sobre a liderança em si, mas entender de pessoas, de motivações, de comportamento, de gestão, mercado e negócios é currículo básico para um líder que se prese.

Procure cursos de gestão de pessoas e equipes, de liderança, coaching, além de livros que possam te ajudar a conhecer mais sobre este universo.

4. Seja firme, humano e aja com clareza

Lembre-se de que o seu exemplo conta muito.

Ter pessoas de difícil relacionamento na equipe e não agir de maneira firme para que as mudanças ocorram pode ser tóxico para sua liderança.

Ao identificar casos, como os que ilustro abaixo, busque atuar imediatamente, mantendo a firmeza e transparência em seu discurso.

Situações práticas e como você pode agir:

Quando o colaborador não segue o que lhe é solicitado

Primeiramente, é preciso saber se você faz feedbacks com a sua equipe. Feedbacks nada mais são do que um retorno sobre a ação de alguém.

Caso o colaborador não esteja entregando os resultados, ele precisa saber disso.

Pode parecer algo simples, mas muitos líderes que conheço sabem das deficiências do seu time, mas evitam ter momentos de feedbacks construtivos.

Marque um horário com seu colaborador e diga a ele o que está acontecendo e o que você espera dele.

Além disso, faça um acordo de mudança, obtendo seu comprometimento com a ação e agende uma data para se reunirem novamente para analisar os resultados (eu sugiro entre 7 a 15 dias).

Quando o profissional é inflexível em suas ideias

Agora que você sabe sobre a importância do feedback, já pode aplicá-lo aqui também.

Muitas vezes o profissional não imagina que sua inflexibilidade e rigidez de ideias são um entrave para seu crescimento profissional.

Busque conversar com ele, mostrando as percas que ele está tendo por agir assim, e, principalmente, como ele poderia ser um profissional mais rico se souber aproveitar e aprender com as ideias das outras pessoas.

Caso ele não dê ideias voluntariamente, estimule! Há muitos casos em que o funcionário sabe o que precisa mudar na empresa mas pensa que “se não pediram sua opinião, não há porque se manifestar”.

Quando o colaborador agride e desrespeita as pessoas

Aqui, definitivamente, algo que falei no artigo sobre “Como dizer não” precisa ficar claro: tudo tem limites.

Ter na equipe alguém que desrespeita os colegas e mantê-lo ali apenas porque há entrega resultados numéricos pode, além de derreter a sua liderança, machucar pessoas e arranhar a imagem da empresa.

Recentemente a Uber sofreu abalos à sua imagem justamente por permitir que situações de assédio moral e sexual ocorressem e passassem em branco, justamente pelos resultados que seus gestores entregavam.

Não queremos isso para sua gestão, certo?

Caso encontre ou saiba de algum profissional que age assim, tome ações imediatamente.

Busque conversar com ele e expor a situação. Mas se já fez isso, é hora de aplicar os limites aqui.

  1. Informe a ele que este comportamento vai de encontro a tudo o que estão construindo e que não é este o perfil de profissional que deseja com vocês;
  2. Ofereça capacitações e reciclagens para que ele mude sua forma de lidar com as pessoas e se não adiantar, tente trocá-lo de setor;
  3. Caso nada disso adiante, só resta uma última alternativa: desligar o colaborador e substituir por outro mais alinhado com a cultura da organização.

A sequência “reorientar > capacitar > realocar > desligar” é sempre o ideal a fazer quando algum colaborador não atende as expectativas ou tem prejudicado o time com seu comportamento.

[Ciclo de ações para casos em que o colaborador não atende as expectativas]

Este modelo é utilizado, por exemplo, em grandes empresas como a Ambev. Grandes corporações já compreendem a importância de reter talentos e optam por desligar profissionais apenas em último caso.

Conclusão: Liderar é uma arte. Se relacionar também

Se você desenvolver em si a habilidade de compreender e se relacionar com as pessoas, terá cada vez mais facilidade em lidar com situações como estas.

Buscar conhecimento em livros, treinamentos e formações que estimulem a percepção mais clínica, profunda e transparente do ser humano te tornará um exímio líder e desenvolvedor de pessoas.

Se você gostou deste tema e sente-se desafiado a liderar pessoas em seu dia a dia, conheça nosso programa de desenvolvimento Liderança Inspiradora e transforme a forma de liderar e alcançar resultados em sua empresa.

By | 2017-11-11T11:59:55+00:00 novembro 11th, 2017|Categories: Coaching, Liderança|0 Comments

About the Author:

Palestrante, Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching, analista comportamental e analista de competências pela HR TOOLS, Administrador, especialista em Comunicação e Marketing empresarial, Empreteco, consultor e instrutor do SEBRAE. Atua estimulando o empreendedorismo e com o desenvolvimento de pessoas e empresas por meio de treinamentos e processos de Coaching.

Leave A Comment