Como ser um bom líder em 7 passos práticos

//Como ser um bom líder em 7 passos práticos

Como ser um bom líder em 7 passos práticos

O mundo está mudando. E a forma como as pessoas se sentem motivadas no trabalho também.

E à medida que os desafios e pressão por metas aumentam, cresce também o peso da responsabilidade de ser um bom líder.

Tendo atuado como especialista em liderança empreendedora nos últimos anos, afirmo que esse processo pode ser bem mais simples do que parece.

Através de 7 passos práticos que compartilho aqui, você será capaz de transfomar a realidade de sua liderança.

Quer deixar de ser apenas um chefe e aprender dicas para se tornar o melhor líder que sua equipe já viu? Continue lendo este artigo e descubra!

1. Aprenda a delegar

Aprenda a delegar para ser um boom líder

Aprender a delegar tarefas é a principal habilidade que um líder deve ter.

Contudo, não basta apenas fazer uma lista do que deve ser feito e distribuir para a equipe.

É preciso reconhecer o potencial de cada um e delegar tarefas de acordo com as habilidades da equipe.

Na palestra do TEDx “O jovem da favela não é carente, é potente”, ministrada por Ana Paula Lisboa, ela demonstra claramente os critérios de seleção das tarefas de uma equipe em prol de um objetivo comum.

Os participantes da equipe podem ser divididos, por exemplo, em pelo menos cinco “avatares”, como se fossem uma personificação de um determinado comportamento.

A sua equipe pode ter mais de um de cada tipo e alguns deles podem exercer até duas funções, mas tome cuidado para que não falte nenhum avatar.

São eles:

  1. O Desbravador: É quem vai na frente, procurar respostas, soluções e parcerias. É quem puxa o time para a frente, que está sempre ligado e atento no que deve ser feito.
  2. O Realizador: Este avatar trabalha ao lado do Desbravador. Normalmente, é o Realizador que possui as habilidades e o conhecimento técnico. Ele trabalha para transformar em realidade, de forma organizada e produtiva, o que o Desbravador idealiza.
  3. O Colaborador: Esta pessoa é aquela que nem sempre tem uma habilidade específica, mas está sempre disposta a ajudar no que for preciso. É a pessoa prestativa, atenta nas necessidades do grupo e disponível para resolvê-las.
  4. O Questionador: É quem faz as perguntas. Toda equipe precisa de alguém para questionar se as estratégias realmente estão dando certo, se estão dentro do prazo, se essa opção é melhor do que aquela. É aquele que pesquisa, que indaga, que não deixa pergunta sem resposta e que precisa de dados para trabalhar.
  5. O Feliz: Seu trabalho é relaxar o grupo e trazer descontração para os momentos tensos. O Feliz também pode ser o criativo: aquele que tem a ideia menos óbvia possível para resolver algum problema.

Por último, e não menos importante, toda a equipe deve ter um líder que saiba administrar as diferenças do grupo e potencializá-las. Mas como fazer isso de forma eficiente sem soar como um chefe autoritário?

2. A comunicação é fundamental

Para entender com quem você está trabalhando e aprender a delegar tarefas corretamente, você precisa se comunicar com clareza e eficiência. Explique o que deve ser feito em tópicos ou etapas e sempre deixe um espaço para a equipe tirar dúvidas.

É importante prestar atenção nas dúvidas e respondê-las de forma clara e sem menosprezar o questionador, pois isso abre espaço para que os outros membros da equipe façam suas próprias perguntas.

Como diria um amigo muito querido meu: “A questão não é o que você diz, mas o que a outra pessoa ouve”. Lembre-se de ter responsabilidade em suas palavras para evitar passar a mensagem errada.

As pessoas ao seu redor também podem lhe ensinar muito, então é importante entender o espaço de falar e de ouvir. Durante a minha carreira como coach executivo, muitas vezes vi o comportamento arrogante de certos gestores levá-los à ruína.

Para aprender a ouvir, procure evitar a distração com outras tarefas e, principalmente, não mexa no celular durante a conversa.

Faça perguntas para esclarecer o assunto e procure repetir palavras utilizadas pelo interlocutor, passando a mensagem de que você realmente ouviu e entendeu o que ele tinha a dizer.

Existe um passo simples a ser feito caso queira ser respeitado por sua equipe: tenha respeito por eles. Pode parecer desnecessário dizer tal coisa, mas muitos líderes tendem a se esquecer desse ponto principal.

Procure se esforçar para não desmerecer a opinião de um colaborador apenas devido à sua formação ou aparência. Como mencionei antes, as pessoas ao seu redor podem te ensinar muita coisa.

Lembre-se: um bom comunicador também precisa aprender a dizer não.

”A maior parte dos empreendedores de sucesso tem pouco interesse em ouvir pessoas que não acrescentam algo importante, mas se forçam a conversar com elas. Fazem isso para ouvir a si mesmos. Bons comunicadores levam em conta tanto o conteúdo da mensagem quanto o modo de transmiti-la, e assim, não caem na armadilha de se tornarem tagarelas que só falam bonito.”

– Mike Myatt, Hacking Leadership

3. Não seja chefe, seja líder

Chefe ou líder

Essa famosa ilustração da diferença entre o chefe e o líder é essencial para entender o seu papel ao liderar uma equipe.

É claro, a posição de estar sentado na cadeira apenas ditando ordens pode parecer bastante confortável, mas isso não levará sua empresa a lugar nenhum.

Portanto, considero pertinente esclarecer a diferença entre um chefe e um líder.

Um chefe pode ter uma visão bastante estreita do próprio negócio, devido à dificuldade em ouvir o que seus colaboradores têm a dizer.

Chefes pensam única e exclusivamente em resultados e lucros, e normalmente constroem equipes desunidas, temerosas e pouco eficientes. O chefe manda, o resto obedece.

Já um líder se posiciona à frente do grupo, enxergando o caminho que deve ser tomado e os obstáculos que precisam ser removidos. Além de guiarem o time, os líderes também se tornam poderosos instrumentos de motivação.

É claro, eles não se esquecerão dos lucros, mas pensarão na melhor maneira de alcançar as metas junto com o time. O líder inspira, a equipe o segue.

Mas não somos máquinas perfeitas de liderança. Não acordamos todos os dias com brilho no olhar, motivação nas alturas e de bom humor com a vida.

Portanto, é preciso se perguntar: o que é necessário para manter o ritmo, mesmo naqueles dias onde tudo parece ir de mal a pior?

4. Gerencie o seu tempo adequadamente

Como gerenciar o tempo e ser um bom líder

Eu utilizo com frequência a matriz de Eisenhower para ensinar gestores e líderes como gerenciar seu tempo e o tempo da equipe de forma eficiente.

A matriz de Eisenhower é uma tabela que nos ajuda a identificar a importância e a urgência das tarefas ao nosso redor, facilitando a tomada de decisão em momentos difíceis.

O primeiro quadrante fala das tarefas urgentes e importantes. A melhor definição para esse quadrante é: engloba aquelas tarefas que, se forem feitas o mais cedo possível, trarão os maiores benefícios.

Um bom exemplo são os projetos com data de entrega marcada, pois quanto mais cedo esse projeto for feito, maior será o tempo para revisá-lo e identificar possíveis problemas. Essas tarefas são prioritárias sobre todas as outras.

O segundo quadrante menciona o que é importante, mas não urgente. Ou seja, aquelas tarefas sem prazo de entrega, nas quais tendemos a procrastinar. Para cumpri-las, é necessário marcar uma hora no seu dia para se dedicar somente a isso.

O terceiro cita tarefas que não são importantes, mas são urgentes, como telefonemas, e-mails, relatórios e planilhas. Essas tarefas devem ser delegadas para outra pessoa.

O quarto quadrante se refere ao que não é importante, nem urgente. Normalmente, esse quadrante pode ser completamente eliminado ou substituído por tarefas que trazem prazer a longo prazo ou aprendizado, como atividades físicas e leitura.

Seguindo a matriz de Eisenhower, você consegue gerenciar seu tempo com muito mais facilidade e aumentar muito seus níveis de produtividade, consequentemente passando um exemplo positivo para a equipe.

Mas os líderes também encontram outro problema: a dificuldade de se concentrar em tarefas importantes.

A nossa vida é atribulada. Telefonemas, mensagens, pessoas ao nosso redor, pensamentos sobre o futuro, a fatura do cartão, tudo isso demanda muito de nossa atenção, dificultando o processo de se focar em uma única tarefa até finalizá-la.

Para resolver isso, pegue uma tarefa da matriz de Eisenhower que seja urgente e importante, e aplique o método Pomodoro.

Este método é bastante simples: no momento em que for começar a tarefa, inicie uma contagem regressiva de 25 minutos.

Cada bloco de 25 minutos é chamado de pomodoro. Durante esse tempo, o seu foco deve estar totalmente voltado à tarefa, ignorando chamadas, telefonemas, e-mails e qualquer outra coisa que lhe distraia o foco.

Estudos mostram que seu cérebro não consegue ficar completamente focado na mesma tarefa por muito tempo.

Portanto, ao fim do prazo de 25 minutos, tenha 5 minutos de descanso. Aproveite para checar aquela notificação do Facebook que havia te distraído no início do pomodoro!

Você pode repetir os pomodoros até quatro vezes – totalizando duas horas de trabalho focado – antes de precisar fazer uma pausa mais longa, de meia hora.

Experimente os benefícios do Pomodoro e compartilhe essa descoberta com sua equipe!

5. Quer saber como ser um bom líder? Leia muito

Você já está dando o primeiro passo para ser um excelente líder através da leitura desse artigo, mas você conhece os principais autores sobre liderança?

Você pode encontrar conhecimentos incríveis nos livros recomendados abaixo:

    • O Monge e o Executivo, de James C. Hunter. Esse livro fala bastante sobre como exercitar a sua liderança através do bom relacionamento, utilizando o personagem fictício John Daily, um executivo bem sucedido que começa a ter problemas na família e no trabalho devido ao seu comportamento.

A partir desses exemplos, logo você estará mais próximo de outros autores fantásticos, como Ken Blanchard, Warren Bennis, Charles Duhigg, Daniel Goleman e Flávio Augusto da Silva.

Entretanto, é importante sempre se lembrar de apenas a teoria não faz o guru. É preciso aliar a teoria com a prática. Para isso, é interessante considerar a possibilidade de fazer um curso de liderança ou coaching executivo.

6. Você já conhece o método Scrum?

Ser um bom lider com o método scrum

O método Scrum é o tema principal do livro A Arte de Fazer o Dobro do Trabalho na Metade do Tempo, de Jeff Sutherland.

É uma metodologia ágil para planejamento de projetos, inicialmente voltado à softwares e empresas de tecnologia, mas que se tornou rapidamente um método de fácil adequação para qualquer tipo de empresa.

A metodologia se consiste em dividir os projetos em ciclos, denominados sprints, que podem ser mensais, semanais, ou da forma que se adequar à rotina da empresa. Então todas as tarefas daquele sprint serão dispostas num quadro, que deverá ser visível à todos da equipe que estiverem trabalhando no projeto.

O quadro terá três divisões: Pendentes, Fazendo e Feito. É interessante utilizar post-its para listar as tarefas, tornando a mudança de uma tarefa de um posição para outra mais simples.

Exemplo: Os membros da equipe se dividiram em dois times. O primeiro time irá lidar a tarefa de criar o site da empresa. O post-it denominado “criar site” será movido da listagem de “Pendentes” para “Fazendo”. O segundo time já fez as ligações para os fornecedores e agora irá fazer uma planilha com as informações coletadas. O post-it “ligar fornecedores” sairá da lista “Fazendo” para “Feito”, e o post-it “planilha fornecedores” será movido de “Pendentes” para “Fazendo”.

Preciso reforçar que, no método Scrum, quem seleciona quais tarefas realizar primeiro e quais realizar depois é a equipe. A equipe deve conhecer a sua própria capacidade de cumprir tarefas e metas e selecionar o que é capaz de fazer. Alguns testes podem ser necessários até ajustar isso.

Nesse tipo de metodologia, as reuniões diárias são fundamentais, mas devem ser curtas (no máximo 15 minutos). Três perguntas principais devem ser respondidas por cada membro da equipe nessa reunião:

    • 1. O que fiz ontem que ajudou o time a cumprir a meta do sprint?
    • 2. O que vou fazer hoje para ajudar o time a atingir a meta do sprint?
    • 3. Existe algum impedimento que não permita a mim ou ao time atingir a meta do sprint?

Os impedimentos devem ser removidos e a equipe deve sempre ser estimulada a dar o melhor de si, então não se esqueça de aprender como motivar a equipe corretamente.

Sugiro fortemente a leitura deste livro de Jeff Sutherland, para aproveitar o conceito em seu máximo e aplicá-lo em sua empresa.

7. Acredite em si mesmo e no seu produto

Essa é a dica máxima deste artigo. Assim como um vendedor não consegue efetuar uma venda se não acreditar no produto, um líder não consegue levar uma equipe onde ele não acredita conseguir chegar.

Eu já treinei muitos gestores ao longo da minha carreira, e muitos deles não conseguiam responder a uma pergunta simples: Por que você faz o que você faz?

Por que você está onde está agora? Quais são os ideais em que você crê? Qual a melhoria que você consegue ver ao seu redor através do seu trabalho?

Ao responder essas perguntas, você irá começar a estabelecer uma crença no seu potencial e no potencial do seu trabalho.

Não acredite na falácia da motivação eterna. Acredite em si mesmo e acredite na ideia ou no produto que você está vendendo. Então, venda isso para sua equipe.

Conclusão

Ser líder não é fácil, mas é um belo desafio.

É preciso estudar bastante, aprender a ouvir, saber relacionar-se bem, cuidar do seu negócio e liderar pessoas em prol de um propósito comum.

Pode acontecer de você acabar se dedicando demais ao trabalho e esquecer de você mesmo. Um líder também precisa relaxar e executar atividades prazerosas – e a sua equipe também.

Estimule-os a procurar por hobbies e atividades físicas, além de recompensá-los quando as metas forem atingidas.

Além de trazer mais bem-estar aos funcionários, você também estará criando um relacionamento com eles, tornando o trabalho um ambiente prazeroso para se estar.

Quer ajudar mais pessoas a descobrir os segredos da boa liderança? Compartilhe esse artigo nas redes sociais!

By |2018-08-06T18:01:34+00:00agosto 2nd, 2018|Categories: Liderança|0 Comments

About the Author:

Palestrante, Coach pela Sociedade Latino Americana de Coaching, analista comportamental e analista de competências pela HR TOOLS, Administrador, especialista em Comunicação e Marketing empresarial, Empreteco, consultor e instrutor do SEBRAE. Atua estimulando o empreendedorismo e com o desenvolvimento de pessoas e empresas por meio de treinamentos e processos de Coaching.

Leave A Comment